Greve histórica dos petroleiros


19/02/2020 22h49 • atualizado 19/02/2020 22h49

Já chega aos 20 dias uma das greves mais emblemáticas da categoria petroleira. Em todo o Brasil, os gritos contra o desmonte da Petrobras e em defesa de combustível com preço mais acessível tomam conta de plataformas e outras unidades da estatal.

A paralisação já garantiu vitórias importantes, como a suspensão, pelo menos provisória, das demissões da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen), anunciadas pela empresa. A suspensão das demissões atinge inclusive os 144 trabalhadores que receberam telegramas para efetuar a rescisão do contrato de trabalho. As dispensas estarão suspensas até o dia 6 de março, quando haverá nova audiência de conciliação no TRT-PR.

“Essa greve, além de denunciar as demissões, mostra a todos que a política de preços do governo Bolsonaro faz com que o gás de cozinha e o combustível estejam mais caros”, destaca o vereador Marcel Silvano, que participou de ato da greve nesta semana em Macaé.

O grito dos petroleiros é também um grito em defesa de todas as trabalhadoras e todos os trabalhadores do Brasil que são vítimas da precarização das condições de trabalho, do subemprego e da retirada de direitos fundamentais. #SomosTodosPetroleiros

Mais conteúdo sobre:
Projetos de Lei
Vereador Marcel Silvano - Informação obtida em http://marcelsilvano.com.br/sem-categoria/greve-historica-dos-petroleiros/