Silêncio macaense impera sobre a “Lava Jato”

A crítica veio do vereador Marcel Silvano, que questiona o porquê da falta de transparência sobre o assunto, inclusive o silêncio da mídia local, que em sua maioria não publicam as denúncias sobre os políticos macaenses citados nas delações desta operação

Com grande repercussão nacional e internacional, as delações na Lava Jato “espirram” forte em cidades do Norte Fluminense, principalmente com denúncias contra grandes atores políticos de Macaé, sejam da atual gestão, como das anteriores. Na sessão ordinária desta quarta-feira, 19, o vereador Marcel Silvano não economizou palavras para criticar o silêncio de veículos locais que não dão tratamento ao assunto conforme a sua essência e repercussão.

O Norte Fluminense e o Estado do Rio concentra a maior atividade petrolífera do País, o que atrai não somente negócios, mas os olhos no mundo para esta região. Marcel ressaltou que Campos dos Goytacazes, cidade vizinha, que recebe a maior fatia dos royalties entre os municípios, teve cinco vereadores deste mandato afastados do cargo por conta das investigações e alguns estão usando até tornozeleira de detento.

“Tenho amigo que fez dois mil votos em Campos, Alexandre Lourenço, e gastou R$ 4 mil reais na campanha. Não é fácil a campanha em Campos, é muito mais delicada e confusa do que em Macaé. Ele está na expectativa da justiça tomar a decisão correta, que é anular os votos dos vereadores que estão condenados pela justiça, e não convocar os suplentes , porque assim continuaria o mesmo problema. Tenho acompanhado Campos por conta da minha relação com Alexandre, mas também por ser um município aqui do lado e acredito que a justiça vai chegar aqui também”, disse o vereador.

Em relação a Macaé, Marcel ressalta que é preciso haver mais transparência. Segundo ele, a população continua sem resposta sobre as relações, um tanto confusas e obscuras, do atual prefeito, Dr. Aluízio, com a Odebrecht. Segundo ele, as desculpas contornadas em vídeos nas redes sociais não condizem com a realidade estampada em jornais da grande mídia e internacional.

A sua expectativa e certeza, é de que a justiça chegará ainda mais longe. “O cenário político está uma terra arrasada. A justiça que hoje tem sido alardeada e tem se tornado paladino das boas práticas e acho que vai chegar ao judiciário, no Ministério Público, porque as relações sempre foram muito obscuras. É preciso que se traga luz e investigar como elas eram feitas”, pontuou.