Prefeito e Câmara negam direito das mulheres à doula no parto


10/12/2018 22h34 • atualizado 13/12/2018 8h35

Direito à doula é negado às mulheres na hora do parto nas unidades hospitalares de Macaé é negado. A decisão aconteceu na sessão extraordinária realizada nesta segunda-feira, 10, na Câmara Municipal de Macaé, na votação do veto do prefeito Dr. Aluízio, que é médico, ao Projeto de Lei (PL) 29/2018, de autoria do vereador Marcel Silvano.

Para derrubar o veto, era necessário nove votos dos 17 parlamentares. A manutenção da decisão do prefeito se deu com três com três votos favoráveis, cinco contrários e duas abstenções. Na hora da votação, cinco parlamentares da bancada governista, curiosamente, se retiraram do plenário e não votaram.

Na assistência do plenário, estavam presentes mães e doulas que construíram junto com o vereador o projeto e declararam não concordar com a justificativa do veto, que diz não caber o município legislar sobre o tema.

“É muito triste ver a covardia de nossos representantes mediante a um direito da mulher. Direito a um nascimento digno e respeitoso. Como mãe e Doula, me sinto triste pelo resultado da permanência do veto ao projeto de lei das Doulas municipal”, disse Melina Leal.

Marcel lamentou a decisão da Câmara. Na defesa do projeto, ressaltou a importância da presença da doula na prevenção da violência obstétrica. O parlamentar apresentou dados estatísticos a respeito e garantiu, que diante da importância dessa iniciativa, em janeiro irá reapresentar o projeto e retomar o debate.

“Quando não conseguimos aprovar uma iniciativa como essa, é sinal de que ainda não superamos o machismo que impera na nossa sociedade”, concluiu Marcel.

Mais conteúdo sobre:
NotíciasO dia na câmara
Vereador Marcel Silvano - Informação obtida em http://marcelsilvano.com.br/noticias/prefeito-e-camara-negam-direito-das-mulheres-a-doula-no-parto/