Marcel discursa sobre posicionamentos políticos dentro do legislativo

As relações confusas na política macaense vêm sendo pauta de discursos duros, críticos e diretos dentro do legislativo macaense. Na última quarta-feira, 19, durante o Grande Expediente e após o cancelamento da votação na Ordem do Dia por falta de quórum proposital, contra a uma pauta que convocava o prefeito Dr. Aluízio para prestar esclarecimentos, Marcel Silvano chamou a atenção dos parlamentares sobre seus posicionamentos políticos, que poderiam ser esclarecidos naquela votação.

Protegido por Direitos Autorais. (Copyrighted Rogério Peccioli)

“É legítimo todo o posicionamento, seja de quem é governo, oposição, independente. São posições necessárias à democracia. Tem gente que ainda não entende como é feita a democracia. Por isso tem liderança de governo e de oposição. Quem é independente tem que dizer que é por isso e isso. Não dá pra fazer cócegas no prefeito e depois aqui fingir que está atendendo a população”, criticou Marcel.

O vereador, que assumiu oficialmente na terça-feira a liderança do bloco de oposição da Casa, elegeu-se apoiando o atual prefeito até o momento em que surgiram as divergências políticas por conta de alianças com o PMDB e atores políticos de gestões passadas que não dialogavam com o discurso de mudança da campanha. A partir daí, declarou sua posição de independência e não de oposição, por ter divergências com a forma em que era conduzida. Entretanto, diante mudanças, na reta final, incluiu-se a este bloco.

“A minha postura independente não foi dessa forma como conduzem agora. Quando rompi com o governo, não dialoguei mais com ele e assumi minha posição aqui”, frisou Marcel.